«Os Amigos da Montanha desde sempre promoveram eventos de sensibilização ambiental»

Entrevistado: Américo Alves, Presidente dos Amigos da Montanha

Portugal Sport: Os Amigos da Montanha são criados por um grupo de amigos em 1994 e oficializados como associação em 1999. Com que propósito é que nasceu esta associação?

Américo Alves: A associação nasceu de uma forma natural depois de um grupo de amigos se juntar regularmente para fazer algumas atividades de montanha. Esse gosto e a organização, já nessa altura feita de uma forma metódica, levou a que esse mesmo grupo decidisse constituir a associação para promover atividades de montanhismo e o ambiente.

PS: É exatamente da prática do Montanhismo que acaba por surgir o nome Amigos da Montanha.

AA: Sim. Como referi, o grupo fundador, do qual fiz parte, nasceu com as atividades que realizavam e com a missão de promover o montanhismo e o meio ambiente. E foi, também, dessa forma natural que, apesar de ter nascido ligada ao montanhismo, se fundamentou sobretudo ligada à natureza e ao meio ambiente e, assim, foi incluindo outras modalidades. Logo após a formalização, em 1999, apareceu o BTT e o pedestrianismo (2000). Depois, de uma forma regular e coerente, foram surgindo as outras modalidades, a canoagem, o rafting, o paintball, a orientação, o Trail, e, depois o atletismo e a natação. Todas estas modalidades permitem oferecer um vasto leque de opções à comunidade para a prática regular do desporto, que é o objetivo da Associação, cumprindo a sua missão de Instituição de Utilidade Pública de promoção de atividades desportivas na Natureza, da preservação do Meio Ambiente e de Responsabilidade Social, estimulando o envolvimento da comunidade local.

Também em 1999 fazem a recuperação do Areal de Barcelinhos que se encontrava ao abandono e promovem a sua revitalização através da realização dos Jogos do Rio que foram, assim, o primeiro evento realizado pela associação. Hoje em dia são o evento mais antigo e, de certa forma, são também um exemplo dos valores que se mantêm?

Sim. Os Jogos do Rio nascem depois de uma intervenção ambiental de limpeza e recuperação do arela de Barcelinhos que outrora tinha sido um local privilegiado para os barcelinenses, para o usufruto do rio e local de partilha. E o grupo de pessoas que formavam os Amigos da Montanha tinham essa ligação, pois todos os anos usufruiam do espaço. Esssa preocupação pela recuperação, pelo meio ambiente e a vontade qeue o areal nunca mais ficasse nessas condições, com muito lixo e ervas infestantes, fez surgir um event que motivaria a limpeza anual e a utilização por parte da população. A estes valores ambientais, juntaram-se os valores desportivos e da ética desportiva que ainda hoje vincamos na promoção dos torneios que aí se realizam durante os Jogos do Rio e em todas as atividades de animação e lazer. Depois de dois anos sem realização do evento por força da pandemia, convido todos a virem conhecer este evento que se realiza nas tardes dos sábados 18 e 25 de julho, 2 e 9 de julho. Temos um programa vasto de animação para todas as idades, desde aulas de ginástica, insufláveis para crianças, passeios de canoa. Slide, parede de escalada, passeios de mota de água, batismo de mergulho, teatro, música, dança, worshops e muitas outras atividades, todas com participação gratuita.

PS: Numa época em que há cada vez mais jovens agarradas às tecnologias, despertar neles o gosto pela natureza e pela atividade física é cada vez mais importante?

AA: De uma forma regular sempre se foram juntando às nossas equipas jovens com vontade de praticar uma modalidade e com o gosto pelo desporto e pela natureza. Mas o surgimento do atletismo, da natação, da canoagem e a expansão a que assistimos na modalidade de orientação vieram trazer um grande número de jovens que estão diariamento com os Amigos da Montanha. Queremos que estes miúdos gostem deste grupo e se crie uma estrutura para que amanhã sejam muitos mais a praticar desporto nestas e noutras modalidades que possam surgir. Muito mais que os resultados, relevamos o trabalho de equipa realizado e, é claro, com tudo isto também os resultados desportivos acabam por surgir. Temos atletas motivados e integrados na dinâmica que se vive no dia-a-dia. E tudo isto, acreditamos, é um importante contributo para o crescimento saudável das crianças e para a criação de mais valias junto dos jovens, contibuindo para as suass vivências na comunidade e na construção do seu futuro pessoal e profissional. É cada vez mais consensual o valor que o desporto tem para a sociedade, para os valores, para a ética e para os hábitos de vida saudável. E, para nós, poder contribuir nesse sentido é, sem dúvida, um orgulho.

PS: Desde 2014 que a formação passou a ser um dos principais focos. Neste sentido, atualmente têm escalões de formação em todas as modalidades?

AA: Os Amigos da Montanha sempre tiveram uma aposta constante na formação, nomeadamente com os cursos de iniciação ao montanhismo e escalada.

A partir de 2014 começamos a ter equipas nos escalões de formação. Atualmente, temos equipas de orientação, atletismo, natação e canoagem.

De uma forma sustentada e eclética levamos a Associação para fora num vasto leque de modalidades sempre com excelentes resultados mas sobretudo com o desporto a revelar a sua importância na formação dos jovens e no incentivo à prática regular e ao desporto para todos. E este é o nosso propósito formar atletas mas, sobretudo, jovens com sentido de comunidade. No âmbito deste nosso plano de formação através do desporto e de toda a atuação dos Amigos da Montanha ao longo dos anos, em 2020, recebemos o título de entidade acreditada pela Bandeira da Ética, do Plano Nacional da Ética no Desporto, pelas boas práticas desportivas existentes.

PS: Procuram, também, promover atividades relacionadas com as modalidades. Quais são as principais?

AA: Todas as modalidades têm a sua importância dentro dos AM. Só desta forma chegamos à Associação que são hoje os AM, movimentando muita gente e trazendo milhares de pessoas a Barcelos. A intenção foi sempre de apostar nas modalidades e nas diversas atividades organizadas independentemente da sua dimensão. Algumas atividades destacam-se pelo impacto criado com o número de participantes que atraem ao concelho mas todas merecem o mesmo tratamento. São todas especiais porque sejam elas grandes ou pequenas, nós empenhamo-nos em todas com a mesma atenção e dedicação, não sobrepondo nenhuma ao nível organizativo.

O atletismo, a natação e a orientação vieram trazer muitos atletas jovens à Associação. Mas para além destas modalidades temos os praticantes de montanha, de BTT e de Trail. 

Naturalmente que a participação dos atletas, quer de formação, quer seniores, em dezenas de actividades em todo o país e até no exterior leva o nome dos Amigos da Montanha e também das suas atividades mais longe. Mas isto não acontece apenas com o atletismo, acontece com todas as modalidades que praticamos e nas quais desenvolvemos atividades.

O objetivo das equipas é a prática daquela modalidade mas os atletas estão também envolvidos na organização das atividades o que as valoriza em muito. Temos atividades organizadas com a intervenção de atletas que sabem o que valorizam quando participam e isso só pode trazer mais valias. 

PS: Sendo os Amigos da Montanha uma associação focada na sensibilização da população para as questões ambientais que medidas são tidas em consideração na hora de organizar um destes grandes eventos?

AA: Os Amigos da Montanha desde sempre promoveram a eventos de sensibilização ambiental, ações de limpeza de floresta, reflorestações, entre outros. Mas também nos eventos desportivos limpamos os trilhos e após a finalização das atividades uma equipa vai para o terreno deixar os percursos limpos. Além disso, em 2015, introduzimos a utilização de fitas de marcação reutilizáveis, evitando o desperdício de milhares de metros de fitas de plástico anualmente. Felizmente, hoje muitas outras organizações seguiram este exemplo. Deixamos, também, de dar garrafas de plástico nos abastecimento. Em 2019, a nossa atividade Galo Night Run, que se realiza este ano a 16 de julho, teve a atribuição do Sê-lo Verdo do Ministério do Ambiente precisamente pelas boas práticas que temos ao nível ambiente, nomeadamente com o programa BiodiverCidade.

PS: É também com o objetivo de tornar o mundo um lugar melhor que surgem projetos como o BeeSOStainable e o BiodiverCidade?

AA: No enquadramento de tudo o que já fazíamos ao nível ambiental e procurando ações cada vez mais sistematizadas, surgiu um projeto ambiental coerente e dinamizador que envolve a educação ambiental para crianças e jovens, a sensibilização para as temáticas da proteção do meio ambiente e a promoção de ações e atividades com essa finalidade.

PS: São 23 anos a incentivar a prática desportiva e a conscencializar a população para questões ambientais. Tendo sempre em vista um mundo melhor. Quais são os objetivos da associação para o futuro?

AA: Continuar com a formação de qualidade, investindo cada vez mais na sua qualidade, o que tem vindo a acontecer com o investimento nos equipamentos e recursos humanos. Continuar com a qualidade reconhecida na organização das nossas atividades. Esse reconhecimento por parte dos participantes parceiros foi muito visível e importante depois destes anos de pandemia que vivemos. Continuar a ligaçao com a comunidade promovendo o deporto para todos e a educação ambiental e, particularmente, a ação que temos tido junto das escolas e dos seus jovens. E manter os valores desportivos, ambientais e de responsabilidade social que nos viram nascer e que, felizmente, têm perdurado e, até, conseguido cada uma importãncia mais abrangente, mas sempre coerente, junto de todos. E continuar com a motivação e união dos colaboradores, atletas, sócios e órgãos sociais que são o motor da associação, da sua dinâmica e crescimento.

É fundamental a existência dos diretores, voluntários, para que se consiga gerir atividades quase todas as semanas. Sbros eleitos para a direção dos Amigos da Montanha, que trabalham de forma voluntária, que coordenam as secções e que têm um papel fundamental para conseguirmos realizar todas as atividades que os AM realizam anualmente e, ainda, coordenar a participação das equipas nas centenas de provas em que hoje as equipas dos AM participam nas várias modalidades. 

Os responsáveis das secções organizam toda a sua equipa, coordenam o trabalho na modalidade quer para a participação nas provas quer para o desenhar das atividades da modalidade. Em todas as atividades, principalmente as de maior dimensão, há o apoio de toda a estrutura associativa. Os colaboradores nas atividades promovidas pelos AM são o segredo do crescimento que temos conseguido, porque temos gente capaz a ajudar na organização de todas as atividades e nos dias das provas juntamos centenas de voluntários. Sem esta força de voluntariado, que conseguimos sobretudo internamente, com colaboradores e sócios, mas também com a participação de outros grupos e instituições, seria impossível realizar todas as atividades que os AM da Montanha dinamizam atualmente. Essencial nas equipas é também o trabalho realizado pelos treinadores, especialmente todo o apoio junto dos mais jovens, o trabalho da equipa que nos apoiou na fisioterapia.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

20 − doce =