Reportagens Exclusivas

Canarinhos de volta ao ninho dos grandes

De regresso à primeira Liga, o Estoril Praia continua a enriquecer a sua história, que remonta ao ano de 1939, quando na altura o clube ainda se denominava Grupo Desportivo Estoril Plage. O equipamento azul e amarelo representa o que de melhor o concelho de Cascais tem para oferecer, o sol e o mar, sendo fácil perceber que desde os primórdios da instituição, o Estoril estabeleceu uma forte ligação com o turismo local e com os desportos aquáticos.

O Estádio António Coimbra da Mota acompanha o clube desde 1939 e já foi palco de grandes conquistas e de algumas desilusões. Com ele o Estoril subiu de divisão, foi campeão da Liga de Honra/Liga 2, alcançou patamares europeus e paralelamente a tudo isso, ainda “acolheu” a Suécia em 2004, durante a participação desta no campeonato europeu que se realizou no nosso país.

Nos anos mais recentes, ninguém se esquece das temporadas de sonho no comando de Marco Silva, onde o futebol do Estoril foi elogiado por toda a crítica, devido ao seu jogo ofensivo e atrativo, que nunca se vergou nos jogos com os grandes, tendo tido um papel fundamental no desfecho do campeonato da época 2012/2013, quando fez o Benfica tropeçar em véspera de visitar o Dragão. Como se sabe, o desaire contra os canarinhos custaria o título aos encarnados e o Estoril carimbava nesse ano um momento histórico na instituição, conseguindo um lugar europeu na época seguinte.

Em 2013/2014 o Estoril Praia disputou o seu primeiro jogo europeu, frente ao Hapoel, empatando em casa e vencendo em Israel. O clube de Cascais conseguiria a qualificação para a fase de grupos da Liga Europa vencendo ambos os jogos de qualificação frente ao FC Pashing e entraria no Grupo H, juntamente com Liberec, Friburgo e Sevilha. O Estoril acabaria eliminado na fase de grupos, no entanto um histórico quarto lugar no campeonato valeria uma nova presença na Liga Europa, desta vez entrando diretamente na fase de grupos, onde encontraria PSV, Panathinaikos e Dínamo Moscovo.

Do céu ao inferno, o Estoril não conseguiu manter o ritmo da Era Marco Silva e acabaria por descer de divisão em 2018. No regresso à Liga 2, o Estoril apresentou-se sempre como uma das equipas mais competitivas em prova e face à própria organização do clube, seria uma questão de tempo até os canarinhos regressarem ao principal patamar do futebol nacional. Os anos seguintes serviram também para reforçar uma sincera aposta na formação de atletas, um projeto que seria interrompido em 2020 com a paragem dos campeonatos juvenis, derivado do surto do vírus COVID-19, que assolou todo o planeta.

As sementes plantadas nessa época viriam a colher frutos no momento atual, com a conquista da Liga Revelação, por parte do plantel sub-23 do clube. Após a conquista das “esperanças” canarinhas, o Estoril venceu no futebol sénior e regressa agora à Liga Bwin. O Estoril está de volta entre os grandes, e promete que veio para ficar.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

19 − diez =