Gilistas preparam-se para arrancar com equipa de Sub-23

Mudar o paradigma de contratação de jogadores profissionais com recurso à formação. O objetivo traçado por Luís Cerqueira, Coordenador da Formação gilista poderá começar a dar frutos a curto prazo. O Gil Vicente prepara-se para avançar com uma equipa de Sub-23 que vai auxiliar o plantel principal. “Dos Sub-19 juniores para os seniores temos conseguido fazer contratos profissionais a três ou quatro jogadores. Com os Sub-23 esse número poderá duplicar ou triplicar”, garante.
A aposta passa por identificar e investir nos melhores jogadores com um contrato de formação. “Neste momento, temos mais de uma dezena de atletas com um contrato de formação, ou seja, jovens talentos que se comprometeram a permanecer no clube até ao campeonato nacional de Sub-19”, adianta.

Gil Vicente regista aumento do número de atletas

O Gil Vicente tem vindo a registar um aumento da procura por parte de jovens atletas. Feitas as contas, existem atualmente cerca de 350 atletas a praticar futebol nos escalões de formação.
Luís Cerqueira considera que o trabalho de angariação realizado junto das escolas do concelho, em Barcelos, e que tem contado com o apoio de elementos da equipa sénior tem sido determinante para sensibilizar o público-alvo.
As redes sociais são, outro, dos canais utilizados pelos gilistas para divulgar as atividades junto dos potenciais atletas. Um trabalho que, no terreno, é complementado com uma equipa de prospeção. Uma estratégia que permitiu aumentar em cerca de 100, o número de atletas inscritos, nos últimos quatro anos.
Além do aumento da procura, o Coordenador da Formação do Gil Vicente diz que o futebol está, também, a atrair crianças cada vez mais novas, algumas com quatro ou cinco anos de idade. “Antes os miúdos apareciam a querer jogar futebol a partir dos sete ou oito anos e, agora, temos meninos que aparecem cada vez mais cedo.”
Cerqueira recorda, no entanto, que na formação o foco está no atleta. “Procuramos formar atletas e não equipas.” O Coordenador lembra que “até aos 13 anos, o desporto é encarado como uma atividade recreativa” e que o importante é que os jovens “sintam paixão pelo jogo e que se divirtam.” A partir dessa altura, inicia-se uma nova fase, a da formação. Nesses escalões (Sub-14 e Sub-15), garante, “privilegiamos a qualidade.“

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

dos × tres =