A caminhada de CR7 rumo ao título

Cristiano estreou-se na Seleção Nacional em 2003 frente ao Cazaquistão

O atual capitão da seleção portuguesa estreou-se ao serviço de Portugal no dia 20 de agosto de 2003, com apenas 18 anos, num particular frente ao Cazaquistão, em Chaves. A aposta foi de Luiz Felipe Scolari, e Ronaldo tinha nessa altura acabado de se transferir do Sporting para o Manchester United. Agora, o português é o melhor marcador de sempre da seleção nacional, com 103 golo, a seis de bater o recorde do iraniano Ali Daei (ver caixa).

O primeiro Europeu

Mas a caminhada de Ronaldo até à conquista do título de campeão europeu em França, um dos poucos que lhe faltava na sua carreira, começou no Europeu de 2004, que decorreu em Portugal, e com uma final de má memória frente aos gregos.


CR7 marcou o primeiro golo oficial pela seleção das Quinas, precisamente diante da Grécia, na fase de grupos, em que Portugal perdeu por 2-1. Cristiano marcou ainda na vitória (2-1), nas meias-finais com a Holanda.

Mundial de 2006


Depois do Euro 2004, seguiu-se a fase de qualificação para o Mundial de 2006, com um Ronaldo mais maduro e goleador. O extremo foi o segundo melhor marcador, com sete golos, na fase de grupos e marcou também o seu primeiro golo num Campeonato do Mundo frente ao Irão. Nesta competição foi ainda considerado um dos melhores jogadores jovens no seu primeiro mundial. Recorde-se que Portugal terminou o Mundial, que se disputou na Alemanha, com um honroso 4.º lugar.

Euro 2008

Na campanha de qualificação para o Euro 2008, Ronaldo marcou oito golos, mas terminou o Europeu com apenas um tento frente à República Checa. Portugal acabaria por ser eliminado pela Alemanha, num europeu organizado pela Áustria e Suíça. No final da competição, Carlos Queiroz assumiu o comando da seleção nacional e entregou a braçadeira de capitão a Cristiano Ronaldo.

Mundial 2010

No apuramento para o seu segundo mundial, Ronaldo estava em dúvida para os dois últimos encontros frente à Hungria e Malta, devido a uma lesão. Mas apesar de muita controvérsia e discordância do Real Madrid, foi mesmo utilizado por Queiroz frente aos húngaros. Ronaldo fez a assistência para o golo de Simão Sabrosa, na vitória de Portugal por 3-0. No entanto, acabaria por falhar o confronto com Malta e também os dois jogos com a Bósnia e Herzegovina dos play-off, que ditou o apuramento da seleção para o Mundial na Africa do Sul.


No jogo frente à Coreia do Norte, Ronaldo marcou o sexto golo na vitória de Portugal por 7-0, acabando assim com um jejum de 16 meses sem marcar pela Seleção. Portugal acabou por ser eliminado pela Espanha nos oitavos de final.

Euro 2012

Ao todo, Ronaldo marcou sete golos na campanha de qualificação para o Euro 2012, organizado pela Polónia e Ucrânia, terminando atrás de Miroslav Klose e de Klaas-Jan Huntelaar na lista de maiores goleadores da fase de apuramento. Portugal ficou no Grupo B na fase-final, juntamente com a Holanda, Dinamarca e Alemanha, naquele que foi considerado como o «grupo da morte». Nessa altura, Cristiano disse: “Só estarei plenamente satisfeito com a minha carreira quando levantar um troféu por Portugal.” No entanto, ainda teria de esperar mais quatro anos, pois, a seleção foi eliminada nas meias-finais pela Espanha, na marcação de penáltis.

Mundial de 2014

CR7 voltaria a ser preponderante na qualificação de Portugal para o mundial de 2014, no Brasil. Portugal ficou no segundo lugar do seu grupo e teve de fazer dois jogos nos play-off frente à Suécia. No primeiro jogo, em casa, Cristiano Ronaldo marcou o único golo na vitória por 1-0. Depois, brindou os suecos com um hat-trick, no triunfo luso por 3-2.


Mas a fase final desse campeonato do mundo correu muito mal a Portugal e também a Cristiano Ronaldo que apenas marcou no último jogo, não evitando, contudo, a eliminação de Portugal.

O primeiro título por Portugal

O ano de 2016 vai ser lembrado para sempre pelos portugueses. A caminhada para o primeiro título europeu da seleção nacional, Cristiano Ronaldo, marcou o golo da vitória em três jogos. Depois, no último jogo da fase de grupos, contra a Hungria, foi eleito o homem do jogo, com mais dois golos e uma assistência, no empate por 3-3, salvando Portugal de uma derrota que ditaria o afastamento do Europeu de França.

Nas meias finais, diante do País de Gales, marcou o primeiro golo, assistindo Nani para o 2-0.
Na final contra a França, Ronaldo sofreu uma entrada dura de Dimitri Payet. Apesar de tentar continuar em jogo, a lesão forçou-o a abandonar a partida aos 25 minutos. E seria do banco que viu Éder marcar o golo da vitória aos 109 minutos. O capitão da seleção portuguesa pôde assim levantar a taça e acrescentar à sua carreira um dos poucos títulos que ainda lhe faltavam.

Segundo título por Portugal
Na Liga das Nações, Ronaldo fez um hat-trick contra a Suíça e levou Portugal à final, onde ajudou a equipa das Quinas a vencer a Holanda, pela margem mínima, conquistando o seu segundo título com a Seleção Portuguesa.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

2 × dos =