Dobradinha à moda do Porto

Dragões entram na história do andebol português

Num ano marcado pela morte de Quintana, o FC Porto fez história no andebol português ao vencer todos os 30 jogos da edição 2020/21 do campeonato nacional, terminando assim com 90 pontos conquistados em 90 possíveis e ainda conquistou a nona Taça de Portugal frente ao Benfica (31-27).

Além disso, os dragões tornam-se no clube português com mais títulos conquistados. São já 22, pelo que deixam para trás o Sporting, que festejou pela 21.ª e última vez na temporada 2017/18.


“Como treinador desta equipa, estou muito feliz. Temos feito uma grande época, mesmo com aquilo que aconteceu com o Alfredo. Mantivemo-nos unidos e, até agora, fizemos uma grande época. Estou orgulhoso por termos vencido todos os 30 jogos do campeonato. Sempre lutámos para vencer todos os jogos e sabíamos que ninguém o tinha conseguido antes. Por isso, só podemos estar felizes por termos sido nós a consegui-lo”, afirmou o treinador Magnus Andersson, ao Porto Canal.

Miguel Martins está de saída do FC Porto

Miguel Martins está de saída do FC Porto. O internacional português realizou o seu último jogo com a camisola azula e branca diante do Benfica, terminando a sua aventura de oito anos com a conquista da Taça depois de ter ajudado a equipa a vencer o campeonato.

O central, de 23 anos, uma das referências da seleção portuguesa de andebol e do campeão nacional, assinou contrato até 2024 com o Pick-Szeged, um dos grandes clubes europeus.

“É de louvar uma equipa chegar ao fim do campeonato só com vitórias, depois de jogos muitos disputados com o Sporting e Benfica que foram os jogos mais complicados. Temos de realçar também a nossa campanha a nível europeu, embora pensasse que pudesse ser mais longa”, disse o jogador ao Porto Canal.

O internacional português, que chegou ao clube portistas na época de 2012/13, já lá vão oito anos, estava visivelmente emocionado na hora da despedida. “É difícil de falar de tudo o que vivi aqui. Conquistei quatro campeonatos, três taças e duas supertaças. Foram oito anos muito bons, com vários treinadores, em que todos eles me acrescentaram algo.
Um muito obrigado ao professor Magalhães, pois foi ele que me trouxe para o FC Porto e a todos os colegas de equipa e todos os elementos do FC Porto. A união da equipa foi muito importante dentro e fora do campo, tivemos alguns percalços, mas unimo-nos muito o que nos deu força para vencer o campeonato e a Taça em honra do Quintana», completou.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

10 + diecisiete =