Um Dínamo de Primeira

São João da Madeira é uma cidade com um histórico desportivo verdadeiramente inacreditável, sobretudo tendo em conta que se trata de um concelho com uma única freguesia. No futsal, o Dínamo Sanjoanense sempre foi o clube da cidade, sendo inclusivamente uma das grandes referências em termos de formação, a nível nacional. Em 2020 e pela primeira vez na história sexagenária do clube, o Dínamo foi promovido à I Divisão Nacional da modalidade e o Portugal Sport foi a São João da Madeira conhecer as instalações desta coletividade e entrevistar o diretor desportivo e diretor da entidade formadora, José Mário Cardoso, de forma a conhecer um pouco melhor a realidade desde símbolo sanjoanense.

Setembro de 2020 vai ficar para sempre marcado na memória dos sanjoanenses. O Dínamo Sanjoanense foi um dos vencedores da terceira eliminatória do playoff de acesso à Liga Placard e conseguiu um lugar na mais importante divisão de Futsal em Portugal. Um momento ímpar na história do clube e um culminar de cinco anos de trabalho, desta direção. “Quando o presidente Paulo Moreira assumiu a direção do clube, reestruturamos a coletividade dentro daquilo que são as nossas ideias e definimos um projeto para o futuro. O Dínamo sempre foi um clube de formação e continuou a ser, no entanto esta subida de divisão dos seniores, é o resultado de todo o nosso esforço e dedicação nestes últimos cinco anos. Colocamos o clube nos nacionais e agora na primeira Liga”, indica o diretor desportivo do Dínamo José Mário Cardoso.

Se a subida de divisão foi recebida com euforia na cidade de São João da Madeira, o desafio referente à época de 2020/2021 assume-se como extremamente complicado, embora o clube garanta que lutará pela manutenção, até ao último minuto de jogo. “Sabíamos que a subida iria deixar o clube numa situação complicada, uma vez que nos playoffs, decidimos privilegiar uma comportamento responsável, e não fizemos um super investimento em reforços, para atacar o acesso à primeira divisão nacional. Algumas equipas contrataram nomes sonantes para disputar os jogos de acesso, mas de o Dínamo entrasse por esse caminho e se não subisse, iria ter muitas complicações no ano seguinte. Decidimos entrar nos playoffs com os jogadores que tínhamos e com a consciência de que era o melhor para o clube”. A temporada 2019/2020 foi um verdadeiro sobressalto face à pandemia da COVID-19 que cancelou a época a meio e o apuramento em pleno mês de setembro, colocou em causa a organização da época seguinte, sendo que “o Dínamo agora que está na primeira, vai lutar com todas as armas para se manter por cá, mas vamos também desfrutar deste momento singular na história do nosso clube, e deixar a cidade orgulhosa de tudo o que Dínamo tem conseguido alcançar nesta modalidade. O Dínamo Sanjoanense foi fundado em 1957, chegou em 2020 há primeira divisão nacional e vamos procurar nos adaptar para que nos próximos 60 anos a primeira Liga seja o lugar natural desta coletividade”.

José Mário Cardoso

Porque o sonho comanda a vida

Fazendo uma retrospeção do percurso do Dínamo nas últimas duas décadas, relembramos que em 01/02 o clube de São João da Madeira foi campeão da primeira divisão distrital e “ganhou tudo o que havia para ganhar naquele ano em termos de seniores”. Seguiram-se anos e anos de estagnação, sem títulos e há cinco anos atrás, o Dínamo não desceu da primeira divisão distrital, porque o Feirense encerraria o futsal sénior, “salvando” este clube da despromoção. A partir desse momento, começou o trajeto ascendente do Dínamo, que subiu aos nacionais e este ano, o que era apenas uma miragem em 2015, é hoje uma realidade. “Esta direção surgiu quando eu era ainda treinador do Dínamo e o Paulo Moreira o meu guarda-redes, já em fim de carreira. Tivemos este tipo de relação cerca de um ano e meio e quando ele assumiu a presidência do clube, recrutamos pessoas que já cá estavam, que nos são muito válidas e fomos buscar gente nova. Fizemos um trajeto onde tivemos alguma sorte, mas também muito mérito e olhando para trás, perceber onde começamos e onde estamos hoje, só podemos ficar orgulhoso”, vinca José Mário Cardoso.

Orgulhoso ficou também o povo de São João da Madeira, que termina o ano com uma equipa de hóquei na primeira divisão nacional, uma equipa de andebol na primeira divisão nacional e graças ao Dínamo, consegue também ter uma equipa de futsal na primeira divisão nacional. O apoio da Câmara Municipal no que respeita às coletividades, não pode ser esquecido. O Pavilhão das Travessas, onde joga do Dínamo Sanjoanense é cedido pelo município, juntamente com a sede e bar do clube (também no Pavilhão das Travessas), que incluí ainda uma sala para fisioterapia, de apoio aos atletas do clube.

Entidade formadora

Muito antes da dimensão que alcançou com a subida dos seniores à Liga Placard, o Dínamo Sanjoanense era já conhecido como um clube de formação, reputado com 3 Estrelas como entidade formadora, um estatuto apenas ao alcance de 15 equipas em Portugal. Com a inclusão na estrutura de um médico de medicina desportiva, tudo leva a crer que no próximo ano o clube consiga a quarta estrela. “A verdadeira vocação do Dinamo é a formação. É por isso que somos conhecidos. Na formação todos os anos temos equipas campeãs distritais. E somos o clube com mais títulos de formação em Aveiro e o clube que inscreve mais atletas tem em Aveiro. Estes dados dizem muito sobre o que é a essência desta coletividade. Tivemos sempre excelentes atletas nas camadas jovens. Somos uma referência”.

Aproveitando as infraestruturas cedidas ao clube e a dimensão do Dínamo nas camadas jovens, o ano passado foi realizado no Pavilhão das Travessas o segundo maior torneio de formação de futsal em Portugal. 600 atletas, 72 jogos e 1400 pessoas na assistência, o torneio foi um sucesso nacional, incluindo equipas como Benfica e SC Braga. “O próprio Sporting tinha garantido a sua presença na edição de 2020 do torneio, mas este foi cancelado, face ao panorama que assistimos com a pandemia”, reforça o diretor da entidade formadora. “O torneio só foi possível com a ajuda de todos, nomeadamente da Câmara Municipal de São João da Madeira, que nos cede um pavilhão como não há igual no nosso país. Temos praticamente quatro pavilhões conjugados num só espaço, só em Berlim existe algo assim. E com toda a estrutura do clube, com ajuda também de amigos, conseguimos organizar um evento com estas proporções, que nos deixa orgulhosos e que esperamos repetir nos anos seguintes”.

Treinar na pandemia

A pandemia do novo coronavírus é um verdadeiro pesadelo para a nossa sociedade, que atingiu o mundo desportivo e todos os seus elementos. Todas as coletividades tiveram de se reorganizar e definir estratégias para combater este flagelo. Numa época normal, as camadas jovens do Dínamo Sanjoanense iniciam os treinos na última semana de agosto, juniores e juvenis, ou na primeira de setembro, restantes escalões. Este ano o clube decidiu iniciar as atividades de formação apenas no começo do ano letivo nas escolas.

Os treinos no Dínamo começaram no final de setembro e inícios de outubro, “começamos pelos mais velhos, porque são normalmente mais responsáveis e atentos, mas todos os campeonatos estão parados. No final de outubro, os treinos foram interrompidos temporariamente face a esta segunda vaga e agora vamos agindo em conformidade com as notícias. O que queremos evitar ao máximo é ter um caso de COVID-19 no clube. É algo que pode acontecer a qualquer um, mas vamos ser responsáveis ao máximo para evitar a contaminação”.

Reagir para vencer

Numa altura em que os contratempos são cada vez em maior número, o Dínamo Sanjoanense, que começou com o pé esquerdo a temporada 2020/2021, vai reagir na reabertura de mercado, “com alguns ajustes cirúrgicos e bem pensados. Precisamos de pessoas que se encaixem e de atletas que sejam uma mais valia para a nossa equipa dentro do que esta nas nossas possibilidades monetárias. No Dínamo não trabalhamos com o que não temos, apenas com o que temos, dentro da área económica. Não há nenhum atleta que tenha passado por este clube que possa afirmar que o Dínamo não paga e não cumpre. E é com esta mentalidade que a longo prazo nos iremos fixar no leque das equipas de primeira divisão”. O diretor desportivo reafirma que “estamos a ganhar experiência, sabemos que não é fácil, mas queremos continuar a fazer história na nossa cidade. Somos antigos, somos do tempo do futebol de cinco e temos uma boa imagem na nossa localidade”.

A dimensão que o clube sanjoanense adquiriu nos últimos anos criou entusiasmo no seio dos adeptos em relação ao futuro do Dínamo enquanto instituição. De ano para ano o futsal ganha cada vez mais popularidade, não apenas entre os homens, mas também dentro do universo feminino. Ainda assim, a criação de uma equipa de futsal feminino não é uma realidade. “Já nos foi proposto o feminino e pode ser uma ideia de futuro. Mas só acrescentamos atletas e equipas se conseguirmos acrescentar parte humana, ou e seja, staff. E neste momento já temos 39 pessoas. O ano passado fizemos 235 jogos. A nível logístico envolve muitos custos e uma organização muito grande. Se for para ter feminino precisamos de estrutura. Há coisas que não abdicamos na estrutura do clube. Só podemos acrescentar equipas quando tivermos conicidades para tal. Nos últimos anos o número de atletas subiu ao ponto de termos duas equipas de juvenis. O ano passado tivemos duas equipas de iniciados. Não fazemos interregnos em escalões para não criar lacunas”.

O Dínamo ao longo dos anos

Com uma história muito particular, vale a pena refletir sobre o que tem sido o trajeto do Dínamo Sanjoanense no mundo desportivo, desde a sua fundação, em 1957, até ao presente ano, uma vez que no inicio, a coletividade estava longe de ser uma entidade formadora e foi com o futebol, há semelhança de tantos outros clubes, que tudo começou.

Estávamos a 14 de abril de 1957 quando do Dínamo Sanjoanense surgiu para o mundo, como uma instituição dedicada puramente ao futebol. Já decorriam os anos 90, quando o Dínamo abriu a modalidade de futebol salão ou futebol de cinco. A equipa de São João da Madeira começou a impor-se a nível distrital nesta modalidade e em 01/02 venceria o campeonato da primeira divisão distrital de Aveiro. No ano seguinte, enquanto marcavam presença pela primeira vez nos nacionais, surgiriam as equipas de formação do clube, que ao fim de 18 anos, são o ex-libris do clube.

Após um hiato de títulos e grandes vitórias no futsal sénior, na época de 2017/2018, o Dínamo conseguiu atingir pela primeira vez a 2ª Divisão Nacional de Futsal, sendo que em 2018/2019 conseguiu garantir com alguma tranquilidade a manutenção nessa mesma divisão. Nessa temporada o clube foi também reconhecido pela Federação Portuguesa de Futebol, como uma entidade formadora, na categoria de 3 Estrelas.

Em 2019/2020, os seniores ficaram em primeiro lugar na Série C da Segunda Divisão Nacional e estavam apurados para a fase de subida à Liga Placard.

Em setembro, depois de vários constrangimentos relativos à COVID-19, que levou ao cancelamento da temporada anterior, a FPF, criou uma prova de acesso à Liga Placard, com três eliminatórias e 12 equipas, sendo que o Dínamo, derivado do ranking, ficou isento da primeira eliminatória. Na segunda eliminatória o clube sanjoanense venceu o Ladoeiro por 3-0 e a 20 de setembro, após golear por 5-1 o Nun´Álvares, conseguiu o apuramento para a Liga Placard, naquele que foi o dia mais importante da história da coletividade.

Aos 63 anos e com 27 títulos distritais, o Dínamo Sanjoanense navega “por mares nunca dantes navegados” e promete aos cidadãos de São João da Madeira, que tudo fará para que esta cidade de Labor, continue a ter orgulho nas proezas desta instituição e que o futuro, será melhor que o seu (valoroso) passado.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

9 + dieciocho =