“Ninguém quer ganhar mais do que nós”

Filipe Moreira- Treinador do Lourosa

Portugal Sport – É público o investimento do L. Lourosa nos últimos anos na modalidade do futebol. Com o surgimento da Liga 3 e com o clube altamente profissionalizado, com que ambição chega o Filipe ao L. Lourosa? E o que é que o motivou a abraçar este desafio, numa altura em que soma 37 anos como treinador de futebol?

Filipe Moreira – Fiquei prisioneiro da paixão do presidente. Os argumentos que ele me apresentou foram caracterizados com uma vontade de vencer e de fazer história. E disse que eu era o seu treinador. Conhecendo o percurso do L. Lourosa nos últimos anos, sobretudo com esta administração, entendi que vir para a zona norte, para Lourosa, era o ideal para a minha carreira.

É um desafio aliciante, de grande responsabilidade, em que o índice de motivação de toda a gente está num nível muito alto. Quando isso acontece, então temos tudo para preparar uma época de muita qualidade, com um único sentido: quando entramos em campo, vamos procurar vencer sempre o nosso desafio. Ter ambição dentro do jogo onde estamos inseridos. Jogo a jogo e no final fazemos contas.

Tenho 37 anos de a carreira, não venho contar filmes a ninguém, venho ser realista. Futebol é ganhar, futebol é o momento. E o resto tem de acontecer naturalmente.

PS – O Filipe tem alguma opinião formada em relação a esta Liga 3, que vem fazer a ponte entre as divisões inferiores e a Liga 2?

FM – Durante muitos anos vivi uma realidade assim, no tempo da 2ª Divisão B. Subi o Ac. Viseu quando havia zona norte, centro e sul. Era muito mais fácil. Subia o primeiro de cada zona numa prova de regularidade. A verdade desportiva estava marcada toda uma época. Esse para mim é o modelo da justiça, da realidade. Sem primeira fase e segunda fase, sem jogos a eliminar.

Agora é um mini-campeonato que pode não refletir a época desportiva. Sou apologista do modelo antigo. Mas há que dar mérito ao trabalho da Federação Portuguesa de Futebol. A época passada foi diferente mas foi com grande qualidade e o Canal 11 também veio dar mediatismo a estas ligas. Vamos ter uma Liga 3 que mesmo diferente do que eu preconizo, tem um modelo que pode ser ajustado consoante as dificuldades. E há que cumprimentar a FPF pelas excelentes condições que estão a criar a toda a gente, com muitos jogos, muita magia, onde tudo será mais profissional. Em pouco tempo conseguiram criar algo fantástico no nosso futebol e estão de parabéns por isso.

PS – Já é possível fazer um balanço em relação a estas primeiras semanas de trabalho de leão ao peito?

FM – O leão ainda está a comer pouca carne. Tem de comer mais. Estão a criar condições para quando ficar faminto querer devorar quem se aproximar no nosso caminho. Mas com respeito pelos nossos adversários.

Mas temos uma grande vantagem em relação aos outros. Temos uma massa adepta e uma claque formada por pessoas que fazem parte da equipa quando esta entrar em campo. Eles vivem dentro de nós, vão jogar connosco, e vão ser o grande reforço desta equipa.

Hoje ao estar no Lourosa, estou num clube grande, num clube que pensa grande, num campeonato histórico, e vamos trabalhar hoje para colher frutos maduros durante o campeonato e mais à frente também.

PS -O Filipe Moreira já teve a chance de comunicar diretamente com os adeptos nestas primeiras semanas em Lourosa?.

FM – No primeiro dia marcaram logo uma posição. Vieram ter connosco, dar as boas vindas, foram fantásticos. Como vivemos perto uns dos outros, vou sentindo o calor, a exigência e a vontade de vencer. E é disso que tem de se gostar. Quem não gostar de pressão tem de mudar de profissão. Difícil é a vida de quem está doente, passa fome e não tem trabalho. Com a bola saltar, gosta o povo, gosto eu, gostamos todos.

PS – A formação de jogadores, vai ser uma prioridade para o Filipe e restante equipa técnica?

FM – Vamos ser práticos. Quando conversei com o presidente, eu disse que só queria ser treinador. Focado nos objetivos principais do clube. A partir desse momento se disser que vou ver a equipa B, C, E, e iniciados Z, seria tudo tanga. Vou aparecer pontualmente. Vou motivar pontualmente as pessoas.

A ideologia de trabalhar jogadores na formação para irem em massa para a equipa principal, é tudo muito giro no papel. Vou estando presente, quando sentir que há perfume estou mais atento, quando não há perfume, estou menos atento, desgasto-me menos. Gosto de música, mas não venho aqui para dar música aos outros. O meu caminho é respirar futebol sénior.

Mas dou os parabéns a quem trabalha a formação, porque é muito importante para o desenvolvimento daquilo que é o jogador português de amanhã.

PS – O trabalho que tem sido desenvolvido nos centros de formação dos clubes portugueses, tem sido importante para valorizar o jogador nacional?

FM – Sim e o caminho tem de ser esse. Se não, não vale a pena ter formação e criar ilusões nos miúdos e nos pais. Cada vez mais há condições e melhores profissionais a trabalhar a formação. Clubes com um bom raio de ação para captar jogadores de outras zonas. E apanhar jogadores do estrangeiro com qualidade. Com idades adequadas para crescer e entrar no negócio do futebol. Valorizar, rentabilizar e vender. É um negócio que os clubes precisam.

PS – Os adeptos do L. Lourosa ambicionam mais uma subida de divisão. A Liga 2 está no horizonte do clube há várias temporadas. O Filipe acredita que será este ano que o sonho será concretizado?

FM – Acredito no que me falaram. Acredito na mensagem do presidente e desta estrutura. Acredito nas pessoas que trabalham nesta casa. Acredito nas pessoas que querem que o Lourosa faça o melhor campeonato de sempre. Mas o realismo vai imperar. Este campeonato vai dar muito trabalho e será dentro de campo que vamos mostrar quem somos.

O sucesso não será para todos e não será fácil atingi-lo, se não pensarmos todos da mesma maneira.

PS – Uma mensagem para os adeptos mais ambiciosos do L. Lourosa.

FM – Ninguém quer ganhar mais do que nós. Os adeptos tem de perceber isto. E ninguém quer ganhar mais do que eles. Então se todos queremos ganhar, é uma mensagem coletiva. A corrida não vai ser de 100 metros. É uma maratona, onde todos queremos ganhar. Olhando em frente, respeitando todos os oponentes. Em campo vamos trabalhar para fazer os adeptos sorrir. Se conseguirmos isso, os adeptos do L. Lourosa vão ter a época que sonham há muitos anos. Quero ganhar todos os dias.

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

cuatro × 5 =