Sonho europeu termina cedo

Terminou o percurso de Portugal no Euro 2020. Os campeões em titulo tombaram nos oitavos de final da prova, frente à seleção nº1 do ranking da FIFA. Naquele que foi o jogo onde Portugal mais trabalhou para chegar ao golo, acabou por não ter sucesso no seu objetivo e no final da primeira parte,Thorgan Hazard num remate fora de área, marcou o golo que seria suficiente para o triunfo da Bélgica.

Depois de um mundial discreto em 2018, o Euro 2020 também não irá deixar grandes recordações à equipa das quinas, sendo que em nenhum dos quatro jogos Portugal fez uma exibição verdadeiramente brilhante e inspiradora. A segunda parte contra a Bélgica foi onde a seleção apresentou melhor futebol, no entanto Fernando Santos e os seus pupilos acordaram demasiado tarde para este europeu.

A Bélgica segue para os quartos de final, onde irá enfrentar a Itália e Portugal regressa para casa. No final do jogo, o selecionador nacional considerou a derrota injusta. “Tenho os jogadores a chorar no balneário e, com certeza, muitos portugueses também. Estamos todos desiludidos, mas os jogadores deram tudo o que tinham, não há nada a apontar em relação a isso. Entrámos mal nos primeiros 10 minutos mas a partir daí pegámos jogo, criámos várias situações de golo mas o futebol é isto. A Bélgica fez seis remates, um na baliza, nós fizemos 29 e acertámos duas vezes nos ferros. Não tenho muitas palavras para isto, sinceramente”.

Em declarações à TVI 24, acrescentou ainda que “Tínhamos confiança nas nossas capacidades e acreditávamos que podíamos ganhar o Euro. Não aconteceu. No futebol não há justiça ou injustiça, há quem marca e quem não marca. Os jogadores estavam cansados mas encontraram energias para compensar o menor descanso. Mas isto agora é tudo conversa”.

Também Rúben Dias se pronunciou após a derrota que ditou a saída da equipa portuguesa no europeu, indicando à SportTV que o plano da equipa não falhou. “Não falhou, o plano de jogo até nos fez sentir bem, sentir superiores, infelizmente não conseguimos o que mais queríamos que era vencer, independentemente de jogar bem, mal ou mais ou menos. Mas estivemos sempre muito perto de fazer golo mesmo na primeira parte foi equilibradíssimo, no golo acabam por ter sorte porque a bola faz um efeito estranho. Na segunda parte dominámos completamente, estivemos muito perto de marcar, mas a bola não quis entrar. O que podemos tirar é mais uma lição, mais uma aprendizagem, voltaremos mais fortes”.

Com a eliminação, a próxima grande competição de seleções será o Mundial 2022, onde Portugal está na luta pela qualificação, no entanto as críticas ao trabalho de Fernando Santos começam a ser cada vez maiores, uma vez que com uma nova geração de ouro nas suas mãos, o futebol praticado pela seleção nacional é bastante pobre, com pouca ousadia e demasiada cautela, contrastando com o futebol entusiasmante de seleções como Bélgica, França, Itália e Inglaterra, que além de jogarem um futebol atrativo, correm como favoritos ao título que pertencia a Portugal.

Fotografia: Facebook Euro 2020

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

tres × dos =