JO Tóquio-2020: Objetivos Traçados

O Comité Olímpico de Portugal já determinou os objetivos para os Jogos Olímpicos do Japão, que irá começar no final desta semana e durará até ao próximo dia 8 de agosto. Portugal pretende alcançar duas medalhas, 12 diplomas (classificações até ao oitavo lugar) e 26 resultados entre os 16 primeiros em Tóquio-2020. No total, esta missão tem um investimento de 18,5 milhões de euros.

Portugal tem alguns nomes apontados para conseguir as desejadas duas medalhas, sobretudo no judo, canoagem e no atletismo, onde em edições passadas foram alcançados resultados francamente positivos. Ainda assim, José Manuel Constantino, presidente do COP assumiu que os resultados dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, não foram os pretendidos. «Ficámos aquém dos objetivos e das nossas expectativas. Tínhamos previsto que 25 por cento dos atletas, que estavam no nível de topo do apoio olímpico, chegassem às medalhas. Ou seja, prevíamos duas, alcançámos uma. Prevíamos 12 diplomas, conseguimos dez. Esperávamos 17 posições de semifinalistas, tivemos 18».

«Não é possível estar no pico de forma nos Europeus e mantê-lo até aos Jogos. Grande parte dos medalhados olímpicos resguardam-se em anos de Jogos Olímpicos», apontou o presidente do COP, José Manuel Constantino, que assumiu que o desempenho global no Rio de Janeiro, em 2016, não foi do seu agrado.

Mário Santos, Chefe de Missão ao Rio-2016, considera ainda que «além do investimento, temos de organizar-nos de forma a potenciar aquilo que é o nosso valor e as mais-valias que o país tem. Os resultados não se obtêm de um dia para outro. É preciso definir com tempo onde queremos ir. Temos enormes talentos, é preciso, sim, organização e definir um caminho para nos levar à superação».

Fotografia: Facebook do COP

Compartilhar

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

14 − 14 =